Maluco do autocarro


Partilhar:

Um maluco apanha um autocarro todas as manhãs e compra sempre dois bilhetes para o mesmo sítio.
Passada uma semana, o condutor, intrigado, pergunta-lhe:
-Ouça lá! Porque é que você compra dois bilhetes todos os dias quando lhe basta um?
-É muito simples – responde o maluco – eu coloco um bilhete no bolso esquerdo e o outro no bolso direito. Se eu perder o bilhete do bolso esquerdo, ainda me resta o bilhete do bolso direito. Se eu perder o bilhete do bolso direito ainda me resta o bilhete do bolso esquerdo.
-Ahhh! E se perder os dois bilhetes ao mesmo tempo?
-Não faz mal !! -responde o maluco – Eu tenho passe!

Anedota enviada por Fodelícia dos Santos.

Esqueleto no museu


Partilhar:

– Filho, como correu a visita ao museu?
– Foi muito giro, mãe. Eu até vi um esqueleto enorme!
– Mas tens a certeza de que era um esqueleto de verdade?
– Sim, claro que tenho. Era um esqueleto de carne e osso!

Anedota enviada por Fodelícia dos Santos.

Antes que comece…


Partilhar:

O marido chega a casa:
– Rápido, traz-me uma cerveja antes que comece!
A mulher não percebeu, mas agarrou na cerveja e levou-lha. Mal acabou de beber, disse:
– Rápido, traz-me outra cerveja, já está quase a começar!
Ela ficou ainda mais confusa, mas trouxe a cerveja. Ao terminar a segunda lata, voltou:
– Vai rápido, traz-me mais uma, vai começar a qualquer momento!
E a mulher, revoltada:
– Ah, chega! Que porcaria é esta? Estás aí todo folgado, chegas e nem me falas, não levantas o rabo gordo do sofá e achas que eu vou ficar a trazer cerveja pró menino como se fosse uma escrava? Não percebes que eu trabalhei o dia inteiro, lavei, passei, limpei a casa, cozinhei, e ainda fiz compras?
– Pronto… começou!

Anedota enviada por Fodelícia dos Santos.

Está tudo certo, com esta errada piada sem graça


Partilhar:

Era meia-noite, o sol brilhava entre as trevas de um dia claro e bonito.
Um homem vestido sem roupas com as mãos nos bolsos, estava sentado em pé, numa pedra de pau à beira de um rio seco e dizia:
“Prefiro morrer do que perder a vida!”
Naquele momento, logo depois, um mudo disse a um surdo que estava intrigado pois um cego não parava de olhar para ele. Enquanto o surdo estava a ouvir o mudo a falar, um aleijado corria atrás de um carro parado.
Bem longe dali, porém muito perto, um senhor alto, moreno, careca, mas muito baixo, penteava cortando os seus longos cabelos loiros.
À noite durante o sono um homem sentiu uma apetitosa falta de comer um prato sem alimentos e viu peixes a nadar na relva verde, tartarugas a pular de galho em galho, enquanto bois nadavam num lago seco.
Enquanto outros se suicidavam pra viver, veio então um sujeito a comer um guardanapo a limpar a boca com um pedaço de bife, assim, começou a declarar uma poesia, porém calado dizia:
“Mais vale um vivo morto, que um morto vivo”
No dia a seguir, uma semana depois acordou então um homem com um despertador latindo, deitado no relógio, e preparou-se pra mais um dia de descanso, porém com muito trabalho…

Anedota enviada por JaCinto Leite.

Na cama com um anão


Partilhar:

O marido chega a casa e encontra a mulher na cama com um anão.
– Sua cabra, não tinhas prometido que nunca mais me traías?!
– Querido, eu ando a tentar… Como podes ver, já estou a reduzir!

Anedota enviada por Fodelícia dos Santos.