Influência dos parentes do Joãozinho


Partilhar:

Joãozinho foi preso. No posto da PSP ele disse:
– Ou vocês me soltam ou vou chamar o meu irmão da assembleia de Lisboa, a minha irmã promotora e o meu pai procurador.
Então foi solto. Quando já estava no portão, um agente perguntou:
– Caro Joãozinho, explica-me essa história dos seus parentes e todas essas influências.
– É que o meu irmão é da Assembleia de Deus, a minha irmã é promotora da Avon e o meu pai é procurador de emprego.

Anedota enviada por Paco Nassa.

Para quê ir à escola?


Partilhar:

Uma velhota passa por um miúdo na rua e pergunta-lhe:
– Porque é que não vais à escola?
O miúdo:
– Para quê, se não sei ler?!

Anedota enviada por Ava Gina.

Onde está o sujeito da frase?


Partilhar:

Pergunta a professora de Português:
– Joãozinho, na frase ”O ladrão roubou o automóvel”, onde está o sujeito?
O Joãozinho:
– Sei lá, sôra professora! Mas de carro, a esta hora já deve ir longe…

Anedota enviada por Paco Nassa.

O mal de copiar


Partilhar:

Quando pouco se sabe, muito se erra. Como no caso deste aluno, que até a copiar é mau.

o mal de copiar

É ótimo, ótimo!


Partilhar:

Numa escola de betos pergunta a professora:
– António, diz-me uma flor começada por “R”.
Rosa! – Diz o António.
– Ai! É ótimo, é ótimo, é ótimo. João, diz-me uma flor começada por “C”.
– Cravo! – Diz o João. Ai!
-É óptimo, é ótimo, é ótimo. Zézinho, diz-me uma flor começada por “O”.
– Hum, …orgasmo! – Diz o Zézinho.
– Orgasmo?! Mas org*smo não é uma flor!
– Mas é ótimo, é ótimo, é ótimo…

Anedota enviada por Amilcar Alho.

1 de 3123