Cueca da Maria


Partilhar:

O Joãozinho é muito ingénuo…

cueca da maria

«Maria!! As tuas nádegas comeram a tua cueca!»

Anedota enviada por Óscar Alheiras.

Influência dos parentes do Joãozinho


Partilhar:

Joãozinho foi preso. No posto da PSP ele disse:
– Ou vocês me soltam ou vou chamar o meu irmão da assembleia de Lisboa, a minha irmã promotora e o meu pai procurador.
Então foi solto. Quando já estava no portão, um agente perguntou:
– Caro Joãozinho, explica-me essa história dos seus parentes e todas essas influências.
– É que o meu irmão é da Assembleia de Deus, a minha irmã é promotora da Avon e o meu pai é procurador de emprego.

Anedota enviada por Paco Nassa.

Tudo é relativo para o Joãozinho


Partilhar:

O Joãozinho estava na escola quando o professor pergunta:
– Joãozinho, quanto é dois e dois?
– É relativo, professor, porque se os números estão na horizontal é 22, se estão na vertical é 4.
– Ah… Pensas que és muito inteligente, não Joãozinho? Pensas que és um sabichão, neh? Agora diz-me, quantos são os mandamentos de Deus?
– Os mandamentos são… Bem, e relativo, professor.
– Como é que é relativo!?
– É relativo, porque se são para homens são 10, mas se são para mulheres são 9, porque as mulheres não podem desejar a mulher do próximo, a menos que sejam lésbicas.
– És um filho da p(*), Joãozinho!
– É relativo, professor, porque se na realidade sou filho de minha mãe não?! Mas se sou filho da sua, então sou!

Anedota enviada por Fodelícia dos Santos.

Partes do corpo, Joãozinho


Partilhar:

A professora diz para o Joãozinho:
– Joãozinho, cite três partes do corpo que comecem com a letra “z”!
– Essa é fácil, fessôra! É zóio, zouvido e zorelha.
– Ah, é? Por essa resposta eu vou lhe dar uma nota que também começa por “z”. Sabe qual é?
– Deixa eu pensar… Já sei, um zoito!

Anedota enviada por Ricky17.

Pai do Joãozinho e os TPC


Partilhar:

O pai que ajuda o Joãozinho a fazer os trabalhos de casa (tpc), confessa-lhe:
– Receio que, um dia, a professora dê conta de que sou eu quem te faz os exercícios de matemática!
Ao que o responde o filho:
– Não te preocupes, pai!
– Ela já descobriu, porque ontem disse-me que lhe parecia impossível eu dar tantos erros!

Anedota enviada por Johnny.

1 de 212