Curioso no jardim dos malucos


Partilhar:

Um homem na rua a certa altura passa pelo que parecia um jardim de um manicómio, rodeado por uma cerca de tábuas de madeira, ouve do outro lado umas vozes a entoar:
– Treze! Treze! Treze!
Curioso, procurou um buraco numa das tábuas, por onde pudesse espreitar. Feito isto, alguém lhe espeta um dedo no olho e o homem recua meio atarantado, ao que se ouve de imediato:
– Catorze! Catorze! Catorze!

Anedota enviada por Johnny.

Lâmpada do manicómio


Partilhar:

O director mostra o hospital de malucos a um visitante!
De repente, vêem um doente agarrado a uma tomada de corrente e a apanhar uma grande descarga!
Comenta o director:
– Este tem a mania que é lâmpada!
O visitante:
– Aquilo é perigoso! Desligue-o!
Você está doido? Depois como é que eu vejo?

Anedota enviada por Vaca Galo.

Doido escreve uma carta


Partilhar:

Dois doidos falam um com o outro:
– O que estás a fazer?
– A escrever uma carta.
– A quem?
– A mim mesmo.
– E o que diz a carta?
– Não sei, ainda não a recebi.

Anedota enviada por Oscar Alho.

Maluco a tricotar


Partilhar:

Estão dois malucos no manicómio.
Um deles está a tricotar uma camisola de lã muito depressa.
O outro pergunta-lhe:
– Então, pá? Porque é que estás a tricotar tão depressa?
– Eh, pá, não me distraias, que estou a tentar acabar esta camisola antes que a lã acabe!