Sacos de cal para a ministra


Partilhar:

O Ministro da Educação foi convidado para participar num piquenique em sua honra, oferecido pelos alunos que passaram o 9º ano.
Quando chegou ao local, ficou extremamente admirado por encontrar um monte enorme de sacos cheios de um pó branco.
Dirigiu-se ao rapaz que estava a preparar o churrasco e perguntou:
– O que é que está dentro daqueles sacos?
– É cal, senhor ministro.
– Cal? Mas para quê?
– Eu também não percebi, senhora ministra mas as ordens que recebi foi de comprar 102 sacos de cal!
Intrigado, o Ministro dirigiu-se ao responsável pelo piquenique (um antigo seu aluno que conseguiu evoluir tirando uma especialização no Programa das Novas Oportunidades) e perguntou-lhe o que é que pretendia fazer com tanta cal.
Esse seu antigo aluno, espantadíssimo, comentou que não tinha encomendado cal nenhuma.
Foram os dois ter com o rapaz que fizera as compras para esclarecerem o assunto.
– Olha lá, quem é que te mandou comprar estes sacos de cal?
– Foste tu, pá! Agora não te lembras? Ainda tenho aqui o papel que escreveste.
E exibiu a lista enorme de compras que lhe tinha sido dada.
O antigo aluno observou, tornou a observar e disse:
– Eh pá… mas tu és mesmo burro! Não vês que me esqueci de pôr a cedilha? O que eu queria dizer era Çal! E não era 102 sacos mas sim 1 ó 2!!

Anedota enviada por Cão Galhão.

Grande celebração do ministro


Partilhar:

Um candidato a Primeiro Ministro visita uma vidente.
A mulher olha para a bola de cristal e diz:
– Vejo uma grande celebração no seu futuro!
– A sério?
– Sim! Há uma grande parada e há pessoas dos dois lados das ruas a celebrar e há gente nas varandas! Está toda a gente felicíssima!
– Que bom! E eu? Como é que eu estou?
– Não dá para ver, que o caixão está fechado…

Anedota enviada por FresCo Nada.

População insatizfeita


Partilhar:

O Primeiro Ministro e o seu secretário encontram-se no topo de um arranha-céus, de onde assistem à manifestação da população insatisfeita.
Diz o Primeiro Ministro:
– Sabes… Eu só queria conseguir fazer esta gente toda feliz…
– Então… Porque é que não saltas?