O Sardinho


Partilhar:

Diz a professora para os alunos:
– Amanhã, tragam todos um animal de estimação.
No outro dia, diz a professora para a menina Raquel:
– Então menina Raquel, diga-me lá o que é que trouxe…
– Eu trouxe uma cadelinha, senhora professora.
– E como é que sabe que é uma cadelinha e não um cãozinho?
– Porque é uma menina tal como eu.
– E o Pedrinho o que trouxe?
– Eu trouxe uma pombinha, senhora professora.
– E como é que sabe que é uma pombinha e não um pombo?
– Porque ela põe ovos.
– Muito bem! E o menino Joãozinho, vá, diga-me lá o que é que trouxe?
– Eu trouxe um sardinho, senhora professora.
– E como é que sabe que é um sardinho e não uma sardinha?
– Porque na lata dizia “sardinha com tomates”!

Anedota enviada por Tasca Gado.

Onde está o sujeito da frase?


Partilhar:

Pergunta a professora de Português:
– Joãozinho, na frase ”O ladrão roubou o automóvel”, onde está o sujeito?
O Joãozinho:
– Sei lá, sôra professora! Mas de carro, a esta hora já deve ir longe…

Anedota enviada por Paco Nassa.

Quem escreveu os Lusíadas


Partilhar:

Numa manhã, a professora pergunta ao aluno:
– Diz-me lá quem escreveu “Os Lusíadas”?
O aluno, a gaguejar, responde:
– Não sei, Sra. Professora, mas eu não fui.
E começa a chorar. A professora, furiosa, diz-lhe:
– Pois então, de tarde, quero falar com o teu pai.
Em conversa com o pai, a professora faz-lhe queixa:
– Não percebo o seu filho. Perguntei-lhe quem escreveu “Os Lusíadas” e ele respondeu-me que não sabia, que não foi ele…
Diz o pai:
– Bem, ele não costuma ser mentiroso, se diz que não foi ele, é porque não foi. Já se fosse o irmão…
Irritada com tanta ignorância, a professora resolve ir para casa e, na passagem pelo posto local da G.N.R., diz-lhe o comandante:
– Parece que o dia não lhe correu muito bem…
– Pois não, imagine que perguntei a um aluno quem escreveu “Os Lusíadas” respondeu-me que não sabia, que não foi ele, e começou a chorar.
O comandante do posto:
– Não se preocupe. Chamamos cá o miúdo, damos-lhe um “aperto”, vai ver que ele confessa tudo!
Com os cabelos em pé, a professora chega a casa e encontra o marido sentado no sofá, a ler o jornal. Pergunta-lhe este:
– Então o dia correu bem?
– Ora, deixa-me cá ver. Hoje perguntei a um aluno quem escreveu “Os Lusíadas”. Começou a gaguejar, que não sabia, que não tinha sido ele, e pôs-se a chorar. O pai diz-me que ele não costuma ser mentiroso. O comandante da GNR quer chamá-lo e obrigá-lo a confessar. Que hei-de fazer a isto?
O marido, confortando-a:
– Olha, esquece. Janta, dorme e amanhã tudo se resolve. Vais ver que se calhar foste tu e já não te lembras!

Anedota enviada por Zeca Galhão.

Ser professor de natação


Partilhar:

Visto assim, parece frustrante!

professor natacao

Deve ser tenso ser professor de natação!
Você ensino e aluno nada!

Pai do Joãozinho e os TPC


Partilhar:

O pai que ajuda o Joãozinho a fazer os trabalhos de casa (tpc), confessa-lhe:
– Receio que, um dia, a professora dê conta de que sou eu quem te faz os exercícios de matemática!
Ao que o responde o filho:
– Não te preocupes, pai!
– Ela já descobriu, porque ontem disse-me que lhe parecia impossível eu dar tantos erros!

Anedota enviada por Johnny.

1 de 212